BNDES contrata estudo técnico para diagnóstico e sugestão de políticas de IoT

Produto final deve ser um plano de ação, com cronograma para cinco anos (2017 a 2022), que aponte objetivos, metas e ações a serem empreendidas.

Internet das CoisasA diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou uma Chamada Pública que selecionará propostas para a realização de um amplo estudo técnico de diagnóstico e sugestão de políticas públicas no tema Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) – nome dado ao processo de conexão inteligente, em rede como dispositivos (computadores, celulares etc), meios de transportes, eletrodomésticos, máquinas agrícolas, vestuário e até maçanetas.

Internet das Coisas: a intimidade na vitrine

O estudo, realizado a partir de uma parceria entre BNDES e Ministério das Comunicações, será o mais abrangente já realizado no Brasil sobre o tema. Ainda em estágio inicial de implantação no mundo, a IoT já é considerada uma das maiores tendências tecnológicas do setor de Tecnologia da Informação. Promoverá maior racionalização, flexibilidade e automação da produção e logística de bens (produtividade do setor industrial); melhoria na qualidade de vida por meio do aprimoramento dos serviços nas cidades; monitoramento remoto de pacientes; melhor utilização de insumos no agronegócio; melhor eficiência energética, além de ampliar o acesso a serviços do setor financeiro, dentre tantos outros benefícios.

O estudo técnico deverá estimular a cooperação e articulação entre empresas, poder público, universidades e centros de pesquisa e será apoiado com recursos não reembolsáveis do Fundo de Estruturação de Projetos do BNDES, constituído com parcela dos lucros do Banco. O estudo também avaliará o estágio e as perspectivas de implantação da IoT no mundo e no país. Com base nisso, deverá propor políticas públicas que potencializem tanto os benefícios para a sociedade brasileira, quanto impactos econômicos, tecnológicos e produtivos.

As bases para a rápida aplicação em massa desse conceito estão na combinação de diversos elementos como: dispositivos eletrônicos mais rápidos, eficientes, menores e baratos; redes inteligentes de telecomunicações; e sistemas avançados de armazenamento e processamento de dados.

Como produto final, será entregue um plano de ação, com cronograma para cinco anos (2017 a 2022), que aponte objetivos, metas e ações a serem empreendidas. O plano deve ser referência para iniciativas concretas para acelerar a implantação de soluções em IoT em áreas que o estudo virá a selecionar, apontando as questões mais relevantes – tecnológicas, regulatórias e institucionais – a serem superadas.
Veja a íntegra da Chamada Pública.

Compartilhe:

Post Comment

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com