Akna

Funcionários da Amazon entram em greve na Europa

Trabalhadores cruzaram os braços na Alemanha e Itália e reivindicam melhora na remuneração.

azA menos de um mês para o Natal e após na Black Friday, os funcionários da Amazon na Itália e Alemanha cruzaram os braços na busca por melhores salários, de acordo com as horas de trabalho. Seis armazéns alemãs entraram em greve ontem, na terceira maior onda de mobilização de funcionários no país. Na Itália, foram 500 pessoas que aderiram à greve.

Amazon inicia vendas de eletrônicos no Brasil

Segundo o sindicato alemão Ver.di, a Amazon desejava alcançar recordes de vendas durante a Black Friday, exigindo dos funcionários excesso de trabalho durante muitos dias para que tudo funcione como a empresa quer. Em 2014 e 2016, trabalhadores da Alemanha já haviam parado reivindicando maior salário.

Na Itália, no entanto, essa é a primeira paralisação que a Amazon sofre, que começou na última sexta-feira. A razão é o fracasso nas negociações com a empresa para reivindicar bônus e melhores salários. A previsão é que a greve se mantenha até 31 de dezembro, o que pode gerar interrupções nos envios de mercadoria para os clientes.

De acordo com o sindicato italiano Cgil, os trabalhadores desejam um bônus devido os resultados financeiros positivos da Amazon e exige que os lucros sejam distribuídos. Ainda segundo o sindicato, há uma questão de direitos e um clima de trabalho sufocante para os funcionários.

A Amazon garante que seus clientes vão receber suas encomendas no tempo previsto. Além disso, diz que seus funcionários estão entre os mais bem pagos no setor logístico e contam com benefícios como seguro saúde e subsídios de treinamento.

Compartilhe: