Akna

IOT cresce em todos os setores da economia brasileira, revela pesquisa

No IoT Snapshot 2017, pesquisa feita pela Logicalis com 176 entrevistados, 37% reconhece a importância de internet das coisas (IoT) para os negócios, frente a 27% dos respondentes na primeira edição. Para 71%, IoT terá importância alta ou muito alta em três anos.

O conceito de internet das coisas (IoT) está ganhando relevância no mercado brasileiro. A segunda edição do IoT Snapshot 2017, sondagem feita com 176 entrevistados, registra aumento de 10 pontos percentuais no nível de maturidade dos executivos brasileiros no mercado de IoT, frente ao ano passado. O estudo foi apresentado nesta terça-feira, 3, durante o Futurecom 2017.

IoT e blockchain transformarão todos os segmentos, afirma Logicalis

Rodrigo Parreira, presidente da Logicalis para a América Latina, salienta que o estudo mostra o aumento da importância de IoT para os negócios, com 37% dos entrevistados apontando a tecnologia como importante ou muito importante para os negócios, um aumento de 27% para 37%. “Além disso, para 71% os respondentes, IoT terá importância alta ou muito alta dentro dos próximos três a cinco anos – frente a 62% no ano anterior”, diz Parreira.

A maturidade do mercado também fica evidente quando se pergunta sobre a complexidade das soluções. Em 2016, os respondentes relacionavam a projetos de IoT apenas sensores, rede e soluções. Este ano, já se nota a inclusão de uma plataforma de IoT, uma camada de inteligência artificial e/ou machine learning e o aumento da importância da segurança.

Os principais benefícios esperados a partir da adoção de internet das coisas são aumento de inteligência e suporte à tomada de decisão, seguido por novas fontes de receita e por melhoria na experiência do consumidor. No ano passado, as empresas buscavam produtividade, eficiência operacional e redução de custos.

Os setores de utilities e agronegócio despontam como os mais avançados na adoção de IoT – 45% e 30% dos entrevistados, respectivamente, já possuem projetos. No segmento de agronegócio, 56% das iniciativas se dá por decisão estratégica em vez da comprovação de ROI – sendo a única vertical que pende para a inovação.

Já o segmento de manufatura, apesar do alto potencial de resultados, é o mais conservador em relação à IoT – apenas 12% já adotam a tecnologia. Isso se deve à falta de garantia de retorno antes de investir: apenas 31% da indústria adota IoT se não tiver garantia de retorno antes de investir. Esse, inclusive, é um dos principais desafios para adoção da tecnologia em todos os segmentos.

Compartilhe: