Akna

Rede de ensino investe R$ 500 mil em programa de pensamento computacional

Buscando desenvolver o pensamento computacional e aprimorar as habilidades socioemocionais, instituição terá sala de aula adaptada para programação, robótica e inventos para a internet das coisas.

Sempre com visão voltada para o desenvolvimento das habilidades socioemocionais e visando preparar seus alunos para as futuras demandas profissionais, a rede de ensino Singular, com unidades em Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul, acaba de divulgar a adoção do programa Mind Makers – voltado para o pensamento computacional. A rede terá exclusividade do programa em toda a Região do Grande ABC.

Com investimentos na ordem de R$ 500 mil, o Singular oferecerá a partir de 2018 aos alunos do 2º ao 8º ano do Ensino Fundamental, a oficina optativa Mind Makers, que posteriormente será introduzida na sua grade curricular pedagógica, como já acontece em algumas escolas do Reino Unido, Finlândia, Canadá, Cingapura, China e Japão.

Esta oficina contribui para o desenvolvimento das habilidades do Século XXI e socioemocionais, integrado a conteúdos de base tecnológica. Ferramentas da ciência da computação como programação e robótica, quando assimiladas desde cedo pelos alunos, permitem que “situações-problema” lhes sejam apresentadas durante todo o ensino fundamental, exigindo que apliquem um “mix” de conhecimentos técnicos, habilidades cognitivas e socioemocionais, que se assemelha às necessidades da vida profissional.

Esses desafios multidisciplinares de projeto ajudam, inclusive, na melhoria da consolidação de conteúdos curriculares, na medida em que os alunos efetivamente colocam em prática conceitos teóricos de sua vida escolar. É a aprendizagem mão na massa – fazer e aplicar.

De acordo com o coordenador de Mídias Digitais do Colégio Singular, Eduardo Zamborlini, a oficina Mind Makers será oferecida em suas seis unidades de Ensino Fundamental, em horário contrário às aulas normais. Além de amparado por um rico material pedagógico, kits eletrônicos e recursos didáticos de ponta, os objetivos de formação dos cursos da Mind Makers são rigorosamente alinhados com padrões internacionais, em toda essa amplitude.

“No Singular, todo o projeto educacional é muito bem estruturado e a informática é utilizada somente se for agregar conhecimento ao aluno, de forma casada com o projeto pedagógico, e nunca de maneira aleatória. Por isso, estamos sempre em busca de inovações na área educacional para oferecermos aos nossos alunos”, explica Zamborlini.

Os alunos do Singular têm os primeiros contatos com os softwares educacionais já na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I, são trabalhados a coordenação motora, experiências com apresentações e textos feitos no computador, bem como as primeiras noções de animações. No ciclo seguinte, os alunos passam a ter aulas regulares de Mecatrônica com conceitos de Robótica, além do estudo de planilhas de cálculos.  Nessas aulas são abordadas automação e programação, envolvendo conceitos de Mecânica, Elétrica e Eletrônica. Vale lembrar que o Singular foi a escola pioneira no Grande ABC a introduzir aulas de Mecatrônica na grade curricular do Ensino Fundamental II.

A partir do 8º ano, os alunos passam a utilizar a multimídia, com edição de vídeos, imagens e som e no 9º ano, partem para as aulas de Empreendedorismo Digital e Mídias a fim de preparar o jovem para o mercado de trabalho. Nesse período, as aulas passam a ter um grande foco na área de marketing e de administração com utilização dos meios digitais.

 

 

Compartilhe: