Akna

Sankhya registra faturamento de R$ 130 milhões em 2017

Empresa planeja inaugurar mais 8 unidades em regiões estratégicas do Brasil em 2018.

A Sankhya vem se consolidando entre as maiores empresas nacionais de soluções integradas de gestão corporativa (ERP) do Brasil. Prova disso é o crescimento contínuo que ela conquista ano após ano, que gira em torno de 30%. Em 2017, a empresa registrou R$ 130 milhões de faturamento, com um crescimento de 51% em vendas, sendo 70% das vendas representadas por novas contas. Para este ano, a previsão é faturar R$ 170 milhões.

A estratégia para atingir esse número terá como foco principal a expansão das atuais 23 Unidades de Negócio espalhadas pelo país, iniciativa que envolve um investimento de R$ 4 milhões. “Até o final de fevereiro já teremos quatro Unidades em funcionamento, afirma Felipe Calixto, presidente da Sankhya, adiantando os locais das inaugurações: “Belém (PA), ABC paulista, e as capitais, São Paulo, e Rio de Janeiro (RJ)”.

Os planos de expansão incluem também o mercado internacional. “Muitos dos nossos clientes possuem operações no exterior e isso motivou nossos planos de expandir nossa atuação para fora do país”. A empresa estuda abrir novas unidades até 2020 em países da América Latina, como, México, Argentina, Colômbia e Chile. “São locais que apresentam um grande número de empresas com o perfil que nos interessa, e que necessitam aprimorar sua gestão”.

Neste ano, a Sankhya também investirá alto para aperfeiçoar suas tecnologias. A assistente virtual BIA (Acrônimo para Business Intelligence Analyst) ganhará mais recursos em breve. “Fomos pioneiros ao lançar a primeira assistente virtual do mercado de ERP que utiliza uma tecnologia altamente inovadora de Inteligência Artificial (IA), para auxiliar os gestores a antecipar o futuro e otimizar os processos de negócio”.

Também serão lançados novos aplicativos com a proposta de facilitar ainda mais o dia a dia dos gestores. Calixto, que aposta em um primeiro semestre mais aquecido, devido aos eventos que acontecerão nos últimos seis meses de 2018, como a Copa do Mundo e as Eleições, o setor de indústria deve ter uma representatividade maior este ano. “Em 2017, as vendas para Indústria representaram 26,19% do total, um número expressivo. Já Serviços totalizaram 39,29%, e Atacado/Distribuidor, 26,52%. Para este ano esperamos que as vendas no segmento representem 30%” do total”, diz ele completando que a meta geral é fechar contrato com mais de 1200 médias e grandes empresas ainda este ano.

 

 

Compartilhe: