Akna

Vivo lidera o crescimento no número de adições no primeiro semestre

Crescimento do pós-pago, principalmente o M2M, fez com que perdas em pré-pago não fossem tão sentidas e operadora ganha mais market share.

Fonte: Teleco.

Dados agregados pela Teleco, consultoria especializada no setor de telecomunicações, apontam que a Vivo foi a operadora móvel que mais ganhou market share no primeiro semestre de 2017 no Brasil. Com adição líquida de 559 mil celulares, a empresa ficou bem distante das concorrentes neste quesito e conquistou 30,7% do mercado.

Brasileiros trocaram de operadora mais de 2 milhões de vezes em 2017

Segundo a consultoria, a liderança em adições líquidas de pós-pagos (1,3 milhões) foi a responsável pelo resultado positivo da Vivo no semestre. Mas 45% desse volume é representado por conexões máquina-máquina (M2M), onde a operadora também é a líder de market share, com 40,8%.

Curiosamente, quem mais adicionou celulares à sua base de clientes depois da Vivo foram as operadoras móveis virtuais (MVNOs), com 105 mil adições no semestre. A Claro aparece em terceiro, com 101 mil. Já a Oi e a TIM amargaram encolhimento, de 107 mil e 2,58 milhões de celulares, respectivamente.

O índice negativo da TIM, de longe o maior do semestre, fez a operadora perder market share e cair para 25,12%, mantendo o segundo lugar neste ranking por pouco (veja imagem). Por outro lado, a companhia pode se vangloriar por ter adicionado a maior quantidade de clientes pós-pagos não M2M do período, com 918 mil, totalizando 954 mil adições no segmento.

Ainda no segmento pós-pago, a Claro adicionou 329 mil clientes, sendo 82 mil não M2M. As MVNOs conquistaram 106 mil usuários, 47 mil não M2M, enquanto a Oi registrou perdeu 89 mil clientes no total.

Em clientes pré-pagos, todas as operadoras registraram queda, com destaque para a Vivo e a TIM, com 735 mil e 3,54 milhões de clientes a menos, respectivamente. Mas se as adições líquidas no pós-pago foram o suficiente para deixar a balança positiva para a Vivo, não se pode dizer o mesmo da TIM. A Oi e a Claro tiveram queda de 34 mil e 228 mil, respectivamente.

*Com informações da Teleco.

Compartilhe: