Akna

Em evento no Brasil, Google apresenta série de iniciativas que vão de combate à fake news até Copa do Mundo

Google for Brasil foi palco para empresa apresentar as novidades na sua plataforma de busca.

Se tem alguma empresa de tecnologia mais relevante para o brasileiro, esta deveria ser o Google. Segundo dados da própria companhia, o Brasil está entre os cinco principais mercados em uso de suas sete plataformas: busca, Android, Chrome, YouTube, Maps, Play Store e Gmail. Por isso, durante o Google for Brasil, evento realizado pela empresa ontem (7/6) em São Paulo, foi palco para apresentação de diversas iniciativas do Google para o País.

Google inaugura cabo submarino no Brasil

Em busca, o Google é sinônimo de pesquisa e os brasileiros estão entre os cinco maiores países em busca pelo celular, com crescimento de 25% por ano. E em ano de Copa do Mundo e eleições, o Google se preparou para melhorar a experiência de seus usuários.

De acordo com dados da empresa, o brasileiro é o que mais faz buscas por futebol que qualquer outro povo no mundo. Por isso, além dos quadros que incluem estatísticas, notícias e a programação do evento, os usuários vão encontrar um novo espaço com fotos, comentários e todas as jogadas importantes dos jogos em tempo real.

“Nós fizemos uma parceria com a Fifa e as emissoras de TV em mais de 100 países para exibir vídeos com os destaques de cada partida diretamente na busca”, disse Berthier Ribeiro-Neto, diretor de Engenharia para América Latina do Google.

Ele responsável pelo Centro de Engenharia da empresa na região, localizado em Belo Horizonte (MG). Ainda segundo ele, este centro foi o responsável por desenvolver o “placar em tempo real”, novidade anunciada ontem e que vai permitir que usuários fixem o placar de um jogo de futebol na tela inicial de seu smartphone após fazer a pesquisa por um jogo de futebol.

Outras novidades que envolvem a Copa são o Google Assistant e o Maps. No primeiro, a ferramenta estará apta para responder perguntas como “qual time será deixado de fora com esse resultado” ou “quantas vezes os dois países se enfrentaram”. Já o Maps, por meio de parceria com o Guia da Semana, trará uma listagem de lugares para assistir aos jogos da Rússia e, qualquer empresa listada no Google Meu Negócio, pode ativar o atributo “bom para assistir esportes”.

Ainda em busca, o Google também se preparou para ajudar os eleitores a encontrarem informações relevantes, atualizadas e confiáveis. Com o apoio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), será possível pesquisar pelo nome de mais de sete mil candidatos concorrendo ao posto em nível federal e ter acesso às informações e notícias mais relevantes.

Berthier ainda destacou que qualquer candidato à presidência poderá postar suas prioridades de campanha diretamente no Google, permitindo que o eleitor veja seus posicionamentos de forma prática. Outras novidades estarão na parceria com a Band para transmissão ao vido do debate no YouTube, no dia 9 de agosto, e, no dia da votação, os brasileiros poderão acompanhar em tempo real os resultados da apuração.

Combate à fake news

Junto com a eleição, vem a preocupação da força que as fake news podem ter para influenciar eleitores. Por isso, a empresa lançou, em março, a Google News Initiative, um esforço para garantir a democracia da informação, baseado em produtos, parcerias e programas de treinamento.

“A notícia é chave para o Google”, anunciou Sami Shalabi, diretor de engrenharia do Google News. Não é por menos que a ferramenta Google News também está no top 5 de uso entre os brasileiros, trazendo resumo diário com as manchetes mais importantes e agora permite uma cobertura completa oferecendo matérias de diferentes jornais sobre um mesmo tema, além de informações relevantes.

Shalabi usou como exemplo a “febre amarela”. Usando o termo como pesquisa, a página de busca mostrou primeiro as principais manchetes sobre o tema e depois informações locais. A seguir, uma linha do tempo com os principais fatos, perguntas e respostas, comentários relevantes em redes sociais e opiniões de especialistas, encerrando com uma seção de fact check.

Em parceira, o departamento de Shalabi fechou com o Centro Internacional de Jornalistas e o Projor- Instituto de Desenvolvimento do Jornalismo – para lançar o Impacto.Jor, coalizão que estuda como a tecnologia pode ser usada para rastrear o impacto de publicações de notícias na sociedade e tentar reverter a queda da credibilidade da imprensa. Criada no Brasil, a iniciativa está sendo exportada para outros países, como os Estados Unidos.

Por fim, o Google também conta com esforços de capacitação de jornalistas, investindo cerca de R$ 10 milhões no treinamento em jornalismo na era digital. Em 2017, foram 18 mil profissionais da imprensa capacitados e, este ano, serão mais mil estudantes e jornalistas no curso online “Como cobrir as eleições sem cometer erros”. Além disso, a empresa firmou parceria com uma série de entidades internacionais para oferecer um curso gratuito para identificar e desmascarar a desinformação online.

Compartilhe: