Akna

Natura reformula e-commerce e melhora taxa de conversão em 50%

Estratégia da empresa se baseou em repaginar toda a estrutura antiga de seu comércio eletrônico para otimizar processos e oferecer serviço personalizado.

A empresa de cosméticos Natura investiu no aprimoramento das ferramentas de e-commerce na intenção de oferecer melhor experiência a seus consumidores. Diante do desafio de garantir uma navegabilidade rápida e intuitiva para compras on-line, a reformulou as versões mobile e desktop de seu site, o que contribuiu para incrementar a taxa de conversão de vendas em pelo menos 50%.

40% das encomendas de e-commerces serão entregues em até duas horas em 2028, diz Zebra

Iniciado em 2015, em conjunto com o Uol Diveo, companhia especializada em soluções de TI, o projeto conta com um pacote de soluções de TI oferecido à Natura que inclui serviços como a otimização da performance e a implementação de novas funcionalidades de e-commerce, como personalização, novos meios de pagamento, políticas de segurança e melhoria de usabilidade. De acordo com a Natura, as mudanças trouxeram melhora na experiência para o consumidor final e ajudaram a obter melhor retorno na taxa de conversão de vendas.

Um dos projetos mais emblemáticos da parceria foi a reformulação da versão mobile do site da empresa. Para se tornar mais assertivo, o canal foi remodelado com foco na experiência e personalização. Hoje a página não replica o conteúdo da versão desktop, pois atua de forma independente e permite a rápida customização de campanhas, promoções e experiências com foco na proposta específica para cada usuário.

Segundo Alexis Rockenbach, líder de inovação do Uol Diveo, o site mobile não apenas está mais rápido, mas também muito dinâmico, o que permite à Natura aprimorar a experiência do seu consumidor no e-commerce. “Em um ambiente customizável, o usuário navega de forma natural. É como se estivesse sendo atendido por um prestativo revendedor”, diz.

Para ele, o foco de todo e-commerce deve ser a experiência do usuário. É preciso saber que o consumidor quer ter a praticidade de fazer compras de qualquer lugar, da forma mais fluída possível. “Sites pouco performáticos, que travam muito ou possuem navegação complicada, vão na contramão disso e acabam desestimulando potenciais clientes”, completa Rockenbach.

Compartilhe: