Akna

Rede de fibra óptica vai conectar universidades e institutos de pesquisas em 70 cidades até o final de 2018

Programa Veredas Novas, coordenado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) conta com o programa Cidades Inteligentes, do MCTIC, para ampliar as conexões nas universidades e institutos de pesquisa a exemplo do que já ocorre em 20 cidades.

As redes de fibra óptica do programa Veredas Novas, coordenado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), devem ser implantadas em 70 cidades do país até o final de 2018, conectando universidades e institutos de pesquisa. A iniciativa é do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) em parceria com o Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap).

RNP lança Sistema de Gestão de Incidentes de Segurança

Esse resultado do Veredas Novas só será possível graças à parceria com o programa Cidades Inteligentes, também do MCTIC, que já levou fibra óptica a 38 municípios do país. Essas redes, agora, serão usadas pela RNP para ampliar as conexões nas universidades e institutos de pesquisa a exemplo do que já ocorre em 20 cidades que possuem as Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecompes) com internet de alta velocidade. Outra parceria, desta vez com o programa Amazônia Conectada, vai permitir a implantação de redes de alta velocidade também em Tefé, Coari e Manacapuru, no Amazonas. Somam-se à lista as cidades de Senhor do Bonfim, na Bahia; Codó, Imperatriz e Pinheiro, no Maranhão; Dourados, no Mato Grosso do Sul; Ponta Grossa e Londrina, no Paraná; e Caicó e Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Em cada cidade, a implantação da rede de alta velocidade permite que a vida do cidadão dê um salto de qualidade. Um exemplo é a rede Giga Mossoró, que, após a inauguração prevista para agosto de 2018, terá 25 quilômetros de fibra óptica conectando três instituições públicas de ensino superior: a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (Uern), a Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) e o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). A implantação da rede já impulsionou o desenvolvimento de uma plataforma de gerenciamento de trânsito em Mossoró: um sistema de informação geográfica onde são registrados dados como acidentes de trânsito e ocorrências de segurança, que podem ser visualizados em mapas georreferenciados.

Criado em 2012, o programa Veredas Novas começou a ser expandido no ano passado. Para participar, a cidade ou estado deve fazer um acordo com o MCTIC ou com a RNP e ter disponibilidade de infraestrutura para implantação da fibra óptica. Foi o que aconteceu com a cidade de Natal, uma das primeiras a receber a rede.

O objetivo do governo do estado era interligar escolas municipais, já que a banda larga local não estava atendendo às necessidades. Um acordo fechado entre a RNP e UFRN possibilitou o desenvolvimento de um modelo para ligar essas escolas.

Compartilhe: