Akna

Rock in Rio usa Microsoft Azure para suportar mais de 18 milhões de visualizações

Plataforma de nuvem da Microsoft garantiu bom desempenho do site na transmissão em tempo real das atividades e durante a venda de ingressos. 

A 7ª edição do Rock in Rio teve a estreia de ferramenta no site chamada “Live – momento a momento”, que disponibilizou em tempo real vídeos dos shows, fotos dos artistas e comentários dos fãs nas redes sociais durante o festival. De acordo com a organização do evento, mais de 18 milhões de visualizações foram registradas nos sete dias de atrações, de pessoas ao redor do mundo acompanhando diariamente o recurso de entretenimento. Foram aproximadamente 1,6 bilhões de requisições aos servidores ao longo das duas semanas. Para absorver o alto volume, a plataforma de nuvem Microsoft Azure foi escolhida por oferecer segurança e garantir escalabilidade durante os picos de acesso. Toda infraestrutura do site foi desenvolvida pela K2 Cloud.

Esta foi a segunda grande carga de acessos que o Azure suportou nesta edição do Rock in Rio. A nuvem da Microsoft, que foi migrada em abril, também foi fundamental para manter a estabilidade do site do evento no momento de pico das vendas de ingressos. No fluxo de vendas, o Azure foi responsável por garantir a constância do site no momento em que o visitante consultava o line-up e realizava a requisição para adquirir o ingresso. Em um único dia, em abril, o Azure chegou a suportar mais de 200 mil requisições simultâneas por minuto. Então, ao escolher, a pessoa era direcionada para a página que administrava a venda de ingressos.

“No fim de 2016, estávamos com alguns problemas de desempenho e perto da fase crucial de venda de tickets. Por isso, para garantir eficiência, nos antecipamos e escolhemos a parceria com o Azure por permitir fácil integração com nossas soluções Open Source, além da boa execução em ambiente de missão crítica”, afirma o Diretor Técnico da K2 Cloud, Rodrigo Ramos.

OI conecta 190 mil pessoas no primeiro fim de semana do Rock in Rio

Outra vantagem oferecida pela nuvem da Microsoft foram soluções do Azure para análise dos servidores, comenta Ramos. “Ferramentas do próprio Azure como o Operations Management Suite (OMS) e o Application Insights nos permitem realizar atividades estratégicas como monitoramento de quantidade e erros em requisições, segurança ao identificar possibilidade de ataque e extrair insights do banco de dados. Antes, precisávamos terceirizar estas funções”, diz.

O Diretor de Nuvem da Microsoft Brasil, Roberto Prado, comenta a solução da Microsoft para oferecer uma operação dinâmica na nuvem a um megaevento como o Rock in Rio. “Novos artistas foram confirmados a todo instante, assim como pacotes de ingressos, provocando um alto e baixo de acessos todos os dias. Para garantir boa performance ao site, nossa plataforma oferece elasticidade e redundância para acompanhar o tráfego do cliente, absorvendo fases de pico como na venda de bilhetes e os acessos durante o evento, que alcançaram a marca de 1,6 bilhões de requisições aos servidores nas duas semanas de shows”, diz.

Mesmo com o fim da 7ª edição do Rock in Rio, a ferramenta continua disponível para quem quiser conferir tudo que foi destaque durante os sete dias de shows. Basta acessar este link e escolher a data.

 

 

Compartilhe: