Uso da vídeo conferência no mercado de recrutamento e seleção cresce no Brasil

Números mostram que as empresas brasileiras estão cada vez mais interessadas em adotar essa ferramenta para agilizar e otimizar o processo de contratação de profissionais.
video-conferencia-okO interesse em adotar a vídeo entrevista como uma ferramenta complementar ao processo de recrutamento e seleção tem crescido de forma considerável no Brasil. É o que mostra uma pesquisa realizada com 240 recrutadores espalhados pelo país, que são clientes ou prospects do Compleo ATS (Applicant Tracking System) – serviço de recrutamento e seleção que traz as últimas tendências do mercado para ajudar empresas a contratar os melhores talentos de forma mais fácil, ágil e automatizada.

Dos entrevistados, 45% já utilizaram o vídeo alguma vez e 52,4% têm interesse em testar. “A soma dos que já aplicaram a vídeo entrevista com os que têm interesse em aplicar totaliza 73,82% dos entrevistados, ou seja, há no Brasil uma grande porcentagem de potenciais recrutadores que realizam ou gostariam de realizar as entrevistas via vídeo”, comenta Wagner Costa Santos, Diretor do Compleo ATS.

O estudo mostrou ainda que a diminuição do tempo gasto no processo seletivo é o principal benefício apontado pelos recrutadores, com 56,86%. Já a maior autonomia para controlar a agenda de entrevista foi eleita por 51%, como a principal vantagem em utilizar esse tipo de recurso. Fatores como colaboração e compartilhamento somaram 25,4%, e 45,10% respondeu que o aumento do alcance de candidatos potenciais é a principal contribuição gerada pela vídeo entrevista.

“Os números apontam que o mercado está cada vez mais maduro em relação aos benefícios que a aplicação do vídeo agrega ao processo seletivo. Hoje, mais do que nunca, as empresas precisam investir em opções que otimizem e aperfeiçoem este processo, tornando-o mais rápido e eficiente. Neste sentido, a vídeo entrevista tem se mostrado não só uma tendência, como também uma alternativa para reduzir custos e otimizar o tempo dos entrevistadores e dos entrevistados”, comenta.

Segundo o diretor, aplicando o vídeo é possível reduzir o tempo de triagem em cerca de 83%, já que ele diminui a quantidade de entrevistas presenciais ao trazer para esta etapa apenas os candidatos aderentes ao perfil da vaga. Além de ganhar tempo na etapa de recrutamento, o serviço também pode reduzir custos com viagens. “É possível usar entrevistas gravadas ou ao vivo para entrevistar candidatos que estejam fora do estado ou do país, evitando gastos com passagens. Em tempos de crise, como a que estamos vivendo no Brasil, isso representa um valor importante”.

“Por todas essas vantagens, o vídeo deveria ser parte integrante da estratégia das áreas de RH das empresas, e ser considerado essencial no processo de Recrutamento e Seleção, fazendo a diferença na agilidade, no custo e no tempo envolvidos nas etapas da busca por um profissional ideal”.

Lançado em 2014, o Compleo ATS já atingiu a marca de mais de 4 mil vídeo entrevistas executadas. As agências de RH têm sido as mais interessadas pelo serviço. “As agências podem compartilhar o vídeo com o cliente solicitante da vaga, assim o processo de avaliação pode ser feito em conjunto. Desta forma, a avaliação não fica apenas com o analista de RH, se tornando colaborativa, ou seja, todos os envolvidos e interessados no processo podem avaliar a entrevista e formar suas opiniões”, finaliza.

 

 

 

 

 

 

Compartilhe: