Gasto mundial com soluções de cidades inteligentes alcançará US$ 1,5 trilhão em 2020

Pesquisa da Frost & Sullivan indica que setor público puxa maior parte da receita.

De acordo com pesquisas recentes da consultoria Frost & Sullivan, o mercado global de soluções para Cidades Inteligentes chegará a uma receita de US$ 1,5 trilhão em 2020. O número é resultado da ideia de que soluções de automação podem resolver problemas enfrentados por cidadãos no dia a dia nas cidades.

Cidade inteligente depende de plataforma aberta e colaborativa, defendem executivos

O relatório “Cidades e Administrações Inteligentes: A Transformação Digital na área do Governo”, encomendado pela Avaya, mostra que o Brasil é um exemplo de crescimento no setor. Em 2016, o setor público investiu um total de US$ 980,20 milhões em telecomunicações e TI.

Na América Latina, o desenvolvimento das Cidades Inteligentes também está em crescimento, mas progressos concretos já podem ser observados nas principais cidades da região, tais como Rio de Janeiro (Brasil), Buenos Aires (Argentina), Bogotá (Colômbia) e a Cidade do México. Principalmente nos segmentos de administração e educação, mobilidade, segurança, infraestrutura, energia e saúde

A Frost & Sullivan considera que, diante das recessões e restrições orçamentárias que as administrações públicas sofrem, a necessidade de fazer mais com menos abre uma oportunidade para a adoção de tecnologia. Diante desses desafios, os governos podem apoiar-se na Transformação Digital para superá-los, ou manter suas ferramentas atuais e ver seus esforços serem em vão.

Dessa forma, a tecnologia assume o papel de fornecer interações mais satisfatórias e fortalecer os serviços públicos. Segundo a consultoria, aumentar a produtividade e satisfação dos funcionários, aumentar a eficiência e efetividade de processos e fortalecer o relacionamento com o cidadão.

O principal desafio é lidar com a quantidade de informação sensível de seus cidadãos, o que a torna valiosa para cibercriminosos. Por esse motivo, a Frost & Sullivan aconselha os governos que queiram iniciar o caminho da transformação digital, devem procurar um parceiro estratégico com experiência comprovada e suficiente no mercado e que possa oferecer-lhes uma proposta que abranja plataformas de Cidades Inteligentes como um todo.

Compartilhe: