Akna

Gestão automatizada da informação acelera e consolida transformação dos negócios

Veeam apresenta novo posicionamento da sua plataforma de gerenciamento da informação, para acompanhar a evolução dos negócios na era digital. Segundo a empresa, as organizações devem centrar esforços na gestão da informação, para oferecer alta disponibilidade a clientes e consumidores, além de garantir a segurança dos dados.

Na era em que predominam as tecnologias altamente focadas na geração e gerenciamento de informações, como Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, machine learning e blockchain, as corporações precisam estar atendas ao modelo de armazenamento e acesso aos dados, para garantir disponibilidade aos processos e agilidade no atendimento das demandas dos clientes. Esta foi a principal mensagem destacada por executivos da Veeam Software, durante o VeeamON 2018, a quarta conferência anual da empresa para usuários e parceiros, que começou nesta segunda-feira, 14, em Chicago, nos Estados Unidos.

Veeam registra 39 trimestres consecutivos de crescimento de dois dígitos em receita 

Em sua apresentação, Peter McKay, Co-CEO e Presidente da Veeam, destacou que as empresas vão gastar US$ 1,3 trilhões até 2020 para participar da economia digital, e não podem desperdiçar estes aportes esquecendo-se da gestão dos dados. A proposta da Veeam é que a inteligência artificial seja aplicada também nesta área, de forma a automatizar a gestão da informação.

“Assim, os dados podem entregar insights de negócios e operacionais em velocidade recorde”, defendeu McKay. Para chegar a este nível de produtividade, no entanto, os ambientes de gerenciamento de dados, irão percorrer uma jornada específica de amadurecimento da gestão da informação, divididos em cinco estágios:

Estágio 1, Backup: Fazer o backup de todas as cargas de trabalho e assegurar que elas estejam sempre recuperáveis e acessíveis em caso de interrupções, ataques, perdas ou roubo.

Estágio 2, Agregação: Garantir a proteção e a disponibilidade de dados em ambientes multinuvem para impulsionar serviços digitais e assegurar a visão conjunta da conformidade do nível de serviço.

Estágio 3, Visibilidade: Melhorar a gestão de dados em ambientes multinuvem com uma visibilidade clara e unificada e controle do uso, questões de desempenho e operações; a gestão de dados começa a evoluir  de reativa para proativa, prevenindo qualquer perda de disponibilidade de dados por meio de monitoramento avançado, otimização de recursos,  planejamento de capacidade e inteligência integrada.

Estágio 4, Orquestração: Mover dados perfeitamente para o melhor local em ambientes multinuvem para garantir continuidade de negócios, segurança e uso otimizado de recursos para operações de negócios. Isso requer um mecanismo de orquestração que possibilite às empresas executar, testar e documentar facilmente e sem interrupções planos de recuperação de desastres (DR) de forma altamente automatizada.

Estágio 5, Automação: Os dados se gerenciam sozinhos ao aprenderem a fazer o próprio backup, migrarem para locais ideais de acordo com as necessidades do negócio, se protegerem quando houver atividades anormais, e realizarem recuperações instantaneamente. Esse estágio traz novos níveis de automação para a gestão de dados corporativos por meio de uma combinação de análise de dados, reconhecimento de padrões e machine learning.

“A Plataforma de Hiperdisponibilidade da Veeam provê a integração, visibilidade, orquestração, inteligência e automação para evoluir a gestão de dados guiada por políticas para ser guiada por comportamentos, e da gestão manual para uma automação inteligente. Isso permite a provisão e gerenciamento de fluxos massivos e constantes de dados em infraestruturas multinuvem distribuídas para serem seguramente automatizados, com autoaprendizagem, e orquestrados de forma otimizada”, afirma Danny Allan, vice-presidente de Estratégia de Produto da Veeam (foto).

a jornalista viajou a Chicago a contive da Veeam Software Brasil

 

 

Compartilhe: