Juniper automatiza e integra transporte óptico com redes IP

Inovações em IP/MPLS e DWDM otimizam a eficiência de redes de interconexão de data centers e redes metropolitanas ao oferecer mais automação, programabilidade e simplicidade.

Rede IPA Juniper Networks anunciou novidades para reunir suas soluções de IP/MPLS e de redes ópticas. Com os novos produtos, a empresa apresenta ao mercado a convergência entre essas camadas da rede e aprimora a escalabilidade de tráfego IP, principalmente para soluções de interconexão entre data centers e tecnologias de redes metropolitanas. Isso deve reduzir o custo operacional dos clientes e estabelecer um alicerce para a criação de novos serviços.

Juniper Networks oferece serviços avançados de segurança para SDN

Uma rede centrada na nuvem que rode aplicações e serviços está se tornando algo mandatório para empresas que queiram estar à frente de seus concorrentes neste cenário de mudanças na oferta de serviços digitais. As configurações de rede atuais – especificamente suas múltiplas camadas, integração vertical e sistemas fechados – não levam essa necessidade em consideração.

Enquanto a infraestrutura básica continua a superar os limites físicos de performance em data centers e redes de provedores de serviços de rede, as camadas IP e ópticas das redes funcionam separadas. E isso precisa ser mudado para que as empresas ampliem sua oferta de serviços e seus negócios sem tropeçar em fluxos manuais, em altos custos para escalar suas redes e em táticas improvisadas de engenharia.

Nesse cenário, os lançamentos da Juniper não apenas dão impulso à performance mas também introduzem, de maneira transversal na rede, a inteligência e a visibilidade necessárias para melhor controlar o tráfego em todas as suas camadas – sejam elas IP/MPLS, sejam elas DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing). As inovações devem possibilitar automação, programabilidade e simplicidade, para levar as redes de interconexão de data centers e redes de áreas metropolitanas a um novo nível de eficiência.

As conexões entre data centers e as redes áreas metropolitanas estão se ampliando a tal ponto que taxas de transmissão na velocidade de um raio sobre redes ópticas já não são suficientes. A complexidade que surge nessa expansão exige maior automação, para possibilitar simplicidade na operação, uso de programação para aumentar a agilidade e arquiteturas simples e abertas. Somente assim é possível construir uma rede multifornecedor, com as melhores soluções disponíveis no mercado.

 

 

Compartilhe:

Post Comment